Bem-vindos ao arquivo do Fórum!

Nosso fórum pode ter mudado, mas isto não significa que vamos esquecer de tudo o que veio antes. Neste arquivo, vocês encontram a história da comunidade do League desde a chegada do servidor ao Brasil. Tem de tudo um pouco: discussões, piadas, desenhos, tentativas de identificar as camadas do fórum e muito mais.

Então, navegue pelas lembranças e, depois, participe das discussões que estão rolando neste momento no novo Fórum do League of Legends e divirta-se com os outros membros da nossa Comunidade. Nos vemos lá!

Um abraço,
Ysanne

IR PARA O NOVO FÓRUM


Correntes [Creepypasta]

1
Comment below rating threshold, click here to show it.

WtP Mito

Member

02-21-2014

Por ser uma história de terror, aconselho que seja lida durante a noite/madrugada

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Não faz muito tempo desde que essa história aconteceu. Eu não posso afirmar a veracidade dela, afinal, tudo o que eu vi e vivi foi perdido. Na verdade talvez vocês nem leiam o que eu estou escrevendo. Talvez na verdade eu realmente não passe de um fantasma achando que estou vivo. Mas se existir a pequena chance de uma pessoa ler esse texto, já irá valer a pena. Espero que eu consiga evitar outros desastres. Duvidem ou não, essa história é completamente real.

Começou do jeito mais normal possível. Eu havia acordado naquele dia, escovado os dentes, ido para a minha faculdade, e depois para o trabalho. Só consegui chegar em casa as oito da noite, e após comer e tomar o banho, já passavam das nove. Sentia bastante sono, mas eu queria jogar pelo menos uma ou duas partidas de League of Legends para pegar meu First Win, afinal, logo logo eu teria dinheiro para comprar a Nami, última support que faltava para mim.

Deveria ter ido direto para a cama.

Nenhuma atualização nova. Nada que anunciasse que aquele dia seria diferente dos demais. Loguei na minha conta, e entrei imediatamente. A primeira coisa que reparei foi um pequeno aviso no topo da tela: “O Campeão Thresh foi desabilitado devido a um bug”. Desanimei um pouco, afinal, o Thresh era meu campeão favorito, o support que havia me carregado do bronze até o diamante. Mas não fazia mal… Por hoje, iria jogar com outros campeões.

Pelo menos é o que eu pensava. Entrei na fila de partidas ranqueadas (mais uma ou duas vitórias e eu entraria na minha melhor de 3 para o Diamante III), e esperei. Um pouco mais de um minuto e meio, um jogo foi encontrado, e eu, claro, aceitei. Era o terceiro a escolher, mas como poucas pessoas jogam de support, mesmo na temporada nova, ninguém viu problema em eu pedir a role que queria.

Quando foi minha vez de escolher, porém, a primeira coisa estranha do dia aconteceu. Thresh estava livre para ser escolhido, apesar do aviso da RIOT que falava sobre o bug. Perguntei no grupo se o Thresh ainda estava bugado, e eles responderam que nunca esteve, afinal, um deles o havia usado na última partida. Fiquei confuso, mas não pensei muito nisso, afinal, era meu campeão favorito. Cliquei nele.

A partir dai eu devia ter percebido que algo estava errado.

Ao invés da fala de abertura comum, o Thresh sussurrou um “Uma alma por uma vitória”. Fiquei surpreso com aquilo, mas até que fazia sentido uma mudanças daquela logo depois do aviso da RIOT. Talvez eu tenha lido errado… O Thresh devia estar desabilitado por causa de uma pequena mudança, não um bug. Dei lock in no Thresh, e a vida seguiu normalmente após isso. Meu carry seria um Graves, e jogariamos contra uma Sivir e uma Leona. Nada que não pudesse lidar.

A tela de abertura começou, e tão logo a imagem do meu personagem apareceu, uma música começou a tocar. Era uma música sinistra, aguda, com vozes de crianças no fundo que fez minha espinha praticamente congelar de medo. Demorei alguns instantes para perceber que era a música do lançamento do Thresh… Porque ela havia começado a tocar, eu não sabia. Eu apenas sei que ainda ouço as crianças cantarem “Cling Clang, Go The Chains” algumas vezes a noite, e começo a suar.

E como se aquilo não fosse assustador o bastante, havia também o começo do jogo. Comprei rapidamente meus itens para começar a partida e tirar aquela música da cabeça, e tão logo dei o primeiro passo, ouvi uma risada. Não era a risada normal do Thresh, o que por si só já seria aterrorizante. Era uma risada gutural, alta e profunda. Os pelos da minha nuca ficaram de pé imediatamente, e todos os meus nervos me disseram para desligar aquele jogo, coisa que não fiz.

Fechei os olhos e deixei o jogo fluir. A risada havia parado, mas eu posso jurar - assim como posso jurar que tudo isso é real - que eu ainda ouvia o som das crianças se eu prestasse bastante atenção. Felizmente o resto do jogo transcorreu norma. Nosso jungle conseguiu o First Blood no top, nós estavamos na frente em farm, e eu até havia esquecido de todo o terror, até que voltei para a base e dei uma olhada com atenção no Thresh pela primeira vez em oito minutos.

Ele olhava diretamente para mim.

Fixei os olhos nele, um pouco surpreso, e mexi meu personagem em volta da base. Ele não parava de olhara para mim, não importava a posição em que terminava, nem mesmo quando dançava. Aquilo me assustou demais, e meus nervos já estavam a flor da pele. Voltei para a lane e comentei isso com as pessoas do jogo, mas eles disseram que o personagem estava normal para eles. Tudo estava muito estranho.

Finalmente conseguimos a primeira morte na botlane, em cima do support inimigo. Uma alma caiu (e eu reparei apenas naquele momento que eu estava com 0 almas no jogo todo), e eu a peguei com a lanterna.

Aquele talvez tenha sido o pior momento da minha vida.

A risada do Thresh voltou, ainda mais alta, e dessa vez ela era misturada com os gritos da Leona, aquele grito que a personagem dava ao morrer. Era insistente, era medonho, ainda mais misturado com as risadas, e as crianças começaram a cantar ainda mais alta. Don’t stop, flee the chains. You’re last chance to escape!

E o pior, ela nunca voltou ao jogo. Quando perguntei sobre ela, os jogadores apenas ficaram confusos. Aparentemente, para eles, não havia nenhuma Leona no jogo. Aquilo era o suficiente para mim. Apertei esc e cliquei para sair da partida, afinal, eu estava quase urinando em mim mesmo, mas o jogo não me deixava sair. Aparecia apenas uma grande mensagem escrita “Faltam 9 almas”.

Graves morreu perto de mim após um gank no bot, por distração minha, e a alma dele também foi sugada. As risadas voltaram mais uma vez, e dessa vez os gritos do Graves se misturavam aos da Leona, me enlouquecendo, além daquelas crianças cantando cada vez mais alto. Cling clang, no the chains! The last sound that you’ll hear!

Não sei porque não larguei o mouse e fui embora imediatamente. Talvez eu já não tivesse escolha além de jogar aquilo até o final, e foi o que eu fiz. Toda vez que meu Thresh pegava uma alma, o campeão morto adicionava suas palavras de morte à bagunça de vozes, misturada com a risada do Thresh e o cantarolar daquelas crianças.

Cling clang, go the chains,
Someone’s out to find you


Sem sequer perceber, eu estava com a cabeça afundada nas mãos, a música ressoando nos meus ouvidos mesmo sem eu estar com os fones. Nesse ponto, meu personagem se movimentava sozinho, e a cada alma, o barulho aumentava, junto do contador. Sem sequer perceber eu já estava gemendo, implorando para que aquilo parasse, sem ter coragem de olhar para o computador.

“Faltam 3 almas”

Por favor pare, por favor pare, por favor pare, por favor pare…

“Faltam 2 almas”

As crianças cantavam. O barulho de correntes estava tão alto que parecia ser real, e não parte de um jogo. Os gemidos dos oito campeões mortos, misturados ao do Thresh haviam me colocado em um estado de absoluto terror. Eu tremia e chorava, com medo de olhar para a tela. Não queria saber como acabaria.

Por favor pare, por favor pare, por favor pare…

“Falta uma alma”

E parou.

A música, os gemidos, a risada, tudo parou. O silêncio súbito foi tão atordoante que eu achei que havia morrido. Lentamente olhei para cima, para ver o que havia acontecido. A tela havia se fixado no meu campeão, e ele olhava fixamente para mim, sem se mexer. O mapa inteiro estava parado, como se o jogo estivesse travado. Restava apenas eu e ele.

Então eu ouvi as correntes atrás de mim.




Acordei no dia seguinte na minha cama. Havia perdido a aula, mas não importava. Esfreguei os olhos com força, quase chorando por tudo aquilo ter sido um sonho. Foi apenas um sonho, nada mais do que um sonho. Me levantei, pronto para tentar pegar pelo menos as últimas aulas, e ouvi a minha voz atrás de mim, saindo do computador, como se eu estivesse sofrendo. Me virei para ele e fiquei paralisado.

Havia apenas duas mensagens.

“Faltam zero almas”

Vitória

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Lembrando apenas que essa história é fictícia. Espero que gostem (:


Comment below rating threshold, click here to show it.

Feels RXRXRXRXRX

Junior Member

02-21-2014

Durmir? HUAUHAHUAHUA Pra que


Comment below rating threshold, click here to show it.

Tatezumate

Junior Member

02-26-2014

É impressão monha ou toda história de terror no lol tem aquela coisa de que todos os champions morrem e não voltam '-'


Comment below rating threshold, click here to show it.

Tozoni

Junior Member

02-27-2014

http://www.youtube.com/watch?v=XVH_OBOQdRs adiciona ai e pede pra dar play antes de ler, fica tenso o negocio cara. No mais otima historia rs.


Comment below rating threshold, click here to show it.

GeovanneD

Senior Member

02-27-2014

Aaahh que preguiça de ler.. '-'


Comment below rating threshold, click here to show it.

El Cid de Vivar

Senior Member

10-17-2014

Bela creepy,tens uma boa criatividade...


1