Bem-vindos ao arquivo do Fórum!

Nosso fórum pode ter mudado, mas isto não significa que vamos esquecer de tudo o que veio antes. Neste arquivo, vocês encontram a história da comunidade do League desde a chegada do servidor ao Brasil. Tem de tudo um pouco: discussões, piadas, desenhos, tentativas de identificar as camadas do fórum e muito mais.

Então, navegue pelas lembranças e, depois, participe das discussões que estão rolando neste momento no novo Fórum do League of Legends e divirta-se com os outros membros da nossa Comunidade. Nos vemos lá!

Um abraço,
Ysanne

IR PARA O NOVO FÓRUM


[Fanfic] Pool Party Sidestory

1
Comment below rating threshold, click here to show it.

xXTitaniaXx9

Junior Member

10-20-2014

Só passando para postar uma fic que escrevi há muuuito tempo atrás (:
#FluffIsLife
#Don'tMindMe

---------------------------------------------------

Era tarde na praia, provavelmente todos os campeões da Liga estão lá para o tal evento chamado Pool Party, então a pequena praia estava particularmente cheia. Mesmo assim, nada poderia estar melhor, mesmo havendo alguns campeões que não apreciavam a companhia de outros, esse sentimento não estava presente dessa vez, até Demacia em Noxus estavam Ok, as pessoas simplesmente queriam curtir o momento em que estivessem em paz e não matando uns aos outros nos campos. O dia também não podia ser melhor, o Sol brilhava alto no céu e não havia nenhuma nuvem a vista, a água estava limpa e brilhante, como um espelho.

Entretanto, mesmo com toda essa paz e alegria fluindo pelo ar e a linda cena daquele dia, alguém conseguia não estar se divertindo, ao contrário, essa pessoa reclamava muito enquanto andava pelas areias macias da praia, talvez porque não era paz e tranquilidade que essa pessoa procurava.

“Ah, isso é ridículo” Ele disse. Os óculos que descansavam em seu cabelo loiro espetado refletiam a luz brilhante do Sol. Ele se sentou na areia praticamente branca com suas costas voltadas para o oceano e começou a desenhar nela com um graveto, provavelmente de uma palmeira, havia muitas delas espalhadas pela praia “Por que diabos eu estou aqui? Por que eu? Eu não tenho nada haver com essa coisa de Pool Party...” Continuou a reclamar. De fato, não era inteiramente sua culpa, a Liga praticamente obrigou a todos os campeões a atenderem ao evento, mas eram somente alguns campeões que iriam receber as novas skins – ele, obviamente, não estava na lista – nomeadas com o mesmo nome do evento, então estava perfeitamente intitulado para reclamar... Era o que ele pensava.

Sendo o Explorador Pródigo que é, ele com certeza preferia estar explorando alguma pirâmide secreta no Deserto de Shurima, descobrindo um templo novo em Kumungu, quebrando ruinas antigas espalhadas por toda Valoran ou se perdendo em alguma caverna escura em Ironspike, mas não, ele foi arrastado para aquela praia infernal e não sabia até quando aquele maldito evento iria durar “Por que a Liga tem que ser tão injusta? Por que eles não me deixam fazer o meu trabalho?”

Estava quase terminando o seu trabalho, parecia ser o mapa de Valoran, estava começando a aplicar os detalhes nele. Se lembrava muito bem de como era, afinal ele mesmo já fez um com papel e caneta em uma das muitas vezes em que estava incrivelmente entediado “E por que a praia? Essa coisa é tão pequena que não posso nem explorá-la! E afinal isso não se chama Pool Party? Não tem nada haver com praia...”

Olhou para as pessoas ao seu redor – ao contrário dele, desfrutando da praia – havia muitos deles, ele não estava acostumado – e não gostava – a ficar ao redor de tanta gente. O que o fez soltar um suspiro profundo “Que tédio” Murmurou.

“Você não pode calar a boca não? Eu estou tentado relaxar aqui, ouvir você reclamar é irritante” Disse a mulher sentada de baixo de um guarda-sol a sua frente, virada de costas para ele. Uma dos campeões mais luminosos, a Alvorada Radiante, Leona “Apenas fique quieto e relaxe. O Sol está grandioso nessa tarde, não estrague isso” Vale salientar que ela era um desses campeões que receberam a skin nova, então, talvez ele não se importasse, mas ela sim.

Ele levantou a cabeça e olhou para o campeão a sua frente, que nem sequer virou o rosto para encará-lo “O quê? Eu só estou dizendo a verdade. Isso é pura besteira e eu não deveria estar aqui” Disse ele, no que muitos pensavam ser um tom de voz arrogante, sinceramente, isso já tinha virado uma característica própria dele.
Por alguns segundos eles ficaram em silêncio, essa não deveria ser a resposta que Leona estava esperando “Cuidado garoto, eu estou sem a minha espada aqui mas ainda tenho algo para usar como uma” Ela falou meio que gesticulando para o guarda-sol ao seu lado.

“Tch” Ele grunhiu um pouco irritado enquanto ela soltava um leve sorriso.
“Relaxe criança, talvez você não devesse estar aqui mas hoje é para ser um dia tranquilo, e você sabe como isso é difícil pra um campeão da Liga, então tente se acalmar e aproveitar essa paz”

“Como eu posso relaxar sabendo que poderia estar fazendo coisas mais produtivas – e mais legais – neste exato momento?” Disse se jogando na areia com as mãos atiradas ao lado do corpo e olhando para o céu “E eu não sou uma criança”

Leona suspirou profundamente, parecendo desistir “Que seja”

O loiro virou sua cabeça para a sua esquerda, ainda deitado na areia. Dali ele conseguia ver outros campeões ao seu redor, como os yordles jogando vôlei, aquela até que era uma cena engraçada e bonitinha de se assistir já que eles eram incrivelmente pequenos, Teemo havia plantado seus(malditos) cogumelos para marcar um linha no chão já que eles estavam sem uma rede para dividir o times e também não dava para fazer uma linha na areia já que qualquer um ia lá e tapava de novo, afinal, eram yordles, ninguém se atreveria a tocar em um cogumelo pelo menos.

Ele continuou a observar o lugar, mais afastado da costa havia um pequeno bar onde pode reconhecer algumas das figuras que sentavam lá, como Garen – parecendo muito estranho sem uma armadura – e Katarina bebendo um típico drink de praia com aqueles guarda-chuvinhas legais no topo, do outro lado estavam Caitlyn, Vi e Jayce e pela cara de Vi ela estava tão entediada quanto ele. Perto deles estavam sentados o Monge Cego e Nidalee ao seu lado, o que o fez soltar um simples ‘Wtf?’

Virou seu rosto para a seu lado direito e viu ao topo de uma palmeira o campeão macaco que luta aquele Wuju-alguma-coisa, mais perto da costa, viu Draven encarando profundamente o mar a sua frente – a água estava como um espelho. Também viu Taric fazendo sei-lá-o-que com Lux, Nasus e Renekton brincando – ou perto disso – e Graves atirando com sua nova e particularmente interessante pistola de água nos outros. Também havia visto Twisted Fate jogando cartas com campeões que passavam, ele estava com um sorriso enorme no rosto e um saco de dinheiro do mesmo tamanho, já imaginava o porquê, até tinha pensado em se juntar a ele mas logo desistiu, TF sempre inventava alguma aposta maluca – digamos, ridícula – quando jogava com ele, e Ez já estava entediado o suficiente.

Virou sua cabeça para cima novamente e fechou os olhos, o Sol no momento estava tão brilhante que ele ‘via’ um fundo avermelhado ao invés de um escuro. Suspirou profundamente e então percebeu uma das razões pelas quais ele estava tão entediado, a diferença entre ele e todos os outros naquele lugar.
Estava sozinho.

Não que aquilo fosse algo estranho, na verdade ele estava sozinho quase o tempo todo e estava acostumado com isso e, na maioria das vezes, ele gostava, mas agora ele não entendia por que estar sozinho na praia estava sendo tão deprimente. Talvez porque ele não tinha outra escolha. Talvez porque ele sentia falta de alguém. Mas ele ainda se perguntava, por quê?

No entanto, antes que ele pudesse pensar mais, aquele fundo vermelho do nada mudou para um preto escuro como se algo ou alguém estivesse de pé entre ele e o Sol, bloqueando a luz de atingir seus olhos fechados.

‘Wtf?’ Pensou, abrindo os olhos vagarosamente. Sabe, o Sol poderia estar estupidamente brilhante mas a pessoa que estava a sua frente agora era tão brilhante quanto, talvez até mais... “Uh, o que você está fazendo?” Ele murmurou, então virou para o lado e viu que Taric estava enlaçado em algum tipo de prisão-de-luz-invisível e riu suavemente.

“Nada ainda” A garota de cabelos loiros a sua frente o responde com um sorriso no rosto e um tom alegre, cruzando os braços “O que você está fazendo?”

O garoto virou seu olhar para ela de novo “Uh, a mesma coisa que você eu acho, fui obrigado a vir aqui pra esse evento estupido” Ele disse levantando e se sentando.

“Não foi isso que eu quis dizer” Ela disse “Estou me referindo ao fato de você estar jogado na areia com uma cara tão entediante que consegue estragar todo o humor – e a Pool Party não é estupida~!”

Ele desviou o olhar e assentiu rindo de leve “Ei, não é minha culpa, eu não posso fazer nada”

“Ah, sim, você pode” Ela disse fazendo uma pequena pausa e suspirando “Essa festa é pra ser um evento divertido e pacífico, como você pode estar entediado aqui, seu sem noção?”

Ele sorriu, até onde sabe Lux sempre vê o lado positivo de tudo, está perfeitamente à vontade consigo mesma e as coisas ao seu redor quase todo o tempo, e, na verdade, não se lembra de encontra-la entediada ou triste em qualquer momento em que a encontra nos campos. Essas são algumas das características que ele acha mais incríveis nela.

Se jogou na areia novamente “Como?” Ele fecha os olhos “Praias são simplesmente entediantes, a coisa mais interessante pra se fazer algumas vezes é dormir...” Disse.

Tudo ficou em silencio por alguns momentos e então ele ouviu o som dos leves paços da Dama da Luz se afastando. Quando ele pensou que ela tinha ido embora, sentiu como se algo pegasse suas mãos do chão de uma maneira bem rápida e então aquilo começou a arrastá-lo, literalmente, pela areia em sentido paralelo com a costa.
Ele rapidamente abriu os olhos e confuso virou seu rosto para ver as ondas do mar se quebrando na areia a sua direita, os sons de toda a praia estavam abafados pelas poucas rajadas de vento que passavam por ele. Em seguida virou seu rosto mais uma vez pra tentar ver de canto de olho o que o estava puxando com tanta confiança e determinação e se surpreendeu a ver o corpo da própria Dama da Luz andando diretamente pra frente, de costas para ele, enquanto suas mãos estavam trancadas no pulso dele. “Er, Lux?” Ele conseguiu pronunciar.
“Sim?” Respondeu, na maneira mais normal e inocente possível.

“O que você está fazendo?” Ele a perguntou mas nem tentou pará-la ou se sentar, talvez a melhor coisa a se fazer no momento era deixar fluir....

“Tentando animar você – por mais impossível que isso seja” Ela disse sorrindo “Você está insanamente entediado, dá pra ver de longe~”

Sim, obviamente “Por quê? Isso é problema meu não seu” Disse sendo bem direto e imprudente, logo, se arrependeu de seu tom, quase o fez parecer rude e não era isso que queria, o que ele realmente quis dizer era por que ela estava preocupada com o seu tédio? Mas a sua frase poderia fazer parecer com que ele não quisesse que ela interferisse, o que era completamente o oposto.

Ele simplesmente não estava acostumado em ser gentil com as pessoas, geralmente a maioria das coisas que vê em seus ‘dias normais’ são pedras e as pedras não ficam chateadas ou com raiva quando ele as chama de ***** por estarem bloqueando seu caminho em alguma caverna escura ou desmoronando sobre sua cabeça em uma montanha.
Ele estava perdido nesses pensamentos por algum tempo e não percebeu que Lux estava quieta também. Mas antes que pudesse se desculpar ou falar qualquer coisa ela o interrompeu.

"Eu não gosto de ver pessoas tristes" Disse gentilmente, mesmo sem olhar para o rosto dele, ela podia sentir, a propósito, que estava arrependido, não foi sua culpa, pensou. Isso a fez sorrir carinhosamente.

“Eu não estou triste” Disse, olhando para o céu e, agora, sorrindo “Estou entediado, é diferente” Brincou. Conseguiu ouvi-la rir um pouco, junto com o calmo som das ondas batendo gentilmente na areia a poucos metros deles, suas mãos estavam firmes nas dele mas ainda assim as seguravam de forma tão delicada, tanto que quase podia dormir naquele exato momento.

“Que seja” Ela disse “Pensamento positivo”

Ele sorriu, em seguida, virou o rosto levemente para a esquerda e reparou algumas pessoas olhando para aquela cena que a propósito era perfeitamente comum. Garen tinha acabado de dar um ‘facepalm’, Kat estava sorrindo e parecia provocá-lo. Corou um pouco, só agora percebendo o quão estranho aquilo poderia estar sendo visto de longe. Virou seu rosto mais uma vez para olhar para Lux, ela parecia não se importar.

Mais duas rochas espalhadas no caminho dos loiros bateram em sua cabeça e ele finalmente desistiu “Okayyyy” Gritou se libertando das mãos de Lux, se sentou e pegou em seu próprio punho com a outra mão “Nossa você é insistente” Balançou a cabeça fortemente para dispersar a areia que tinha acumulado em seu cabelo loiro bagunçado.

“Finalmente” Ela virou-se para encará-lo “E você é entediante” Provocou.

“Eu? Entediante?” Disse com uma expressão de Eu-Não-Acredito-Que-Você-Disse-Isso misturada com um sorriso largo e levantando uma de suas sobrancelhas. A jovem apenas balançou a cabeça sorrindo, gostava de deixa-lo confuso, suas reações eram engraçadas e às vezes imprevisíveis "Vou te mostrar quem é entediante" Disse ainda sorrindo.
Sorriu mais uma vez e estendeu sua mão para o garoto. Ele agarrou-a sem hesitação, e então o puxou para fora do chão para ajuda-lo a se levantar, mas os reflexos do Sol em seus óculos foram diretamente em seus olhos a fazendo por uma mão na frente do rosto por reflexo próprio para bloquear a luz (funny hun? Lux bloqueando a luz) mas, acidentalmente, acabou puxando-o mais forte do que o esperado fazendo ele perder o equilíbrio assim como ela.

Alguns segundos depois, ela encontrou-se no chão deitada na areia brilhante e quente, o som das ondas por alguma razão parecia estar mais abafado, enquanto ela lentamente abria os olhos.

Corou no mesmo instante. Ezreal tinha caído junto com ela, mas ele conseguiu se apoiar com os braços no chão nos últimos instantes por reflexo e, felizmente, não caiu em cima dela. Mas ele não estava com uma expressão muito diferente, com os rostos a polegadas um do outro, suas bochechas tinham mudado para um tom vermelho, o que causou uma situação de puro desconforto. Milhões de pensamentos cruzaram a mente dela, dos mais variados. O cabelo dele leve e gentilmente tocava seu rosto, seus olhos verde-esmeralda olhavam fixamente para o azul-cristal que ela possuía e se viu extasiada com eles de maneira que não poderia tirá-los de vista. Estava paralisado também, seu lindo rosto e seus olhos o hipnotizavam e logo se viu incapaz de se mover, mesmo com a situação desajeitada que em que estava.

Eles ficaram desse jeito pelo que parecia durar eternos minutos mas na verdade foram só alguns segundos. Ele então começou a ouvir pessoas murmurando ao seu redor, não sabia quando tinham começado ou quanto tempo aquilo tinha durado já que até agora não conseguira prestar atenção em muitas coisas, mas olhou para os lados discretamente com o canto do olho e então notou alguns campeões sorrindo e encarando para eles. Naquele momento, desejou não ter ouvido certas coisas, o que só o fizeram corar ainda mais.

Ele rapidamente se levantou da forma mais desajeitada possível, quase caindo de novo só que para trás, não sabia o que dizer quanto a isso devido ao claro nervosismo, apenas conseguiu coçar a parte de trás de sua cabeça sem jeito, suando um pouco e evitando contato olho a olho.

Lux não estava em uma situação muito diferente, mas ela ainda foi capaz de se levantar e sentar preguiçosamente, instintivamente, percebendo que olhos a observavam, olhou a sua volta e então percebeu o motivo do salto que Ez tinha acabado de dar, e riu levemente com as caras curiosas que os encaravam, mas o ar ainda se mantinha bem carregado entre os dois, e nenhum estava encontrando palavras para se explicar. Os pensamentos da garota foram cortados quando avistou Ez hesitantemente estendendo sua mão, notou que em sua face ainda residia um leve tom de vermelho enquanto que com a mão direita ele bagunçava seu cabelo. Lenta e cuidadosamente ele a levantou da areia, só para prevenir mais acidentes.

Por quê? Ele se perguntou olhando para baixo logo após ter soltado sua mão. Naquela situação, a primeira coisa que deveria ter passado pela sua cabeça seria se levantar e se desculpar ou alguma coisa assim, mas não conseguia, ao contrario, ele paralisou e nem sequer levantar conseguiu. Ainda confuso, olhou de relance para seu lado.

“Você é mais leve do que eu pensei” Ela disse enquanto limpava a areia dos ombros.

A observou quieto, não ignorando o comentário mas nem sequer o notou, não podia tirar seu olha dela, ela estava.... Brilhando, ou talvez ele a viu assim, mas, a cena na frente de seus olhos era tão bonita que não conseguia acreditar. Então, alguma coisa o atingiu e se lembrou de mais cedo, quando estava entediado.... Quando estava sozinho... Agora, era diferente, nada daquilo parecia ter acontecido, com ela, tudo em seu pequeno mundo parecia mudar. Ela consertou. Apenas falando com ele. Apenas se importando com ele. Seu tom era tão feliz e puro e ao mesmo tempo tão amável e gentil. Ele apenas começou a admirá-la mais e mais.

“O quê?” Ela perguntou após alguns minutos de silêncio, estranhou o fato de não ter respondido o sou comentário, principalmente por não ter protestado na escolha de palavras, mas não ele nem sequer reclamou, continuava a encarando e não se tocou disso nem mesmo quando ela notou e o encarou de volta com uma sobrancelha arqueada intrigantemente.

“Oh, hm, nada” Desviou o olhar e sacudiu de leve a cabeça para tentar limpar seus pensamentos, então passou uma mão em sua cara Gah. O que tem de errado com você Ez? Pensou, confuso com suas próprias ações Eu não consigo nem pensar direito! Isso nunca aconteceu. De fato, mesmo nas situações mais ridiculamente perigosas que ele se encontrasse, muitas vezes inicialmente causadas por ele mesmo, ele sempre achava um jeito de se acalmar e pensar em alguma forma de escapar, como uma vez em que ele disparou sua Barragem Incendiária imprudentemente para destruir uma rocha que bloqueava seu caminho em uma caverna nas montanhas, como era de se esperar (destaque ocasional no era) aquilo acabou resultando em um desabamento e logo após a comemoração pela pedra vaporizada milhares de outras vieram abaixo. Bom a primeira coisa que ele pensou foi correr e reclamar e foi exatamente o que ele fez, a sorte era que a caverna na verdade não era de grande tamanho e ele também sentiu um fio de luz no rosto e lançou um Disparo Místico na direção em que presumiu que tinha vindo, o que abriu um buraco de tamanho suficiente para ele pular para fora antes de ser esmagado. Tudo conforme o planejado! Sem duvidas.

Ela sorriu com sua reação (de novo), ele estava tímido e achou aquilo a coisa mais adorável que já tinha visto, por mais estranho que pareça.

Não se lembrava de tê-lo encontrado assim nos campos, sempre parecia bem confiante e determinado, mas ela não podia se esquecer de quem ele realmente era. O Explorador Pródigo que vai pra qualquer lugar que quisesse para fazer qualquer coisa que passasse pela sua cabeça. Um espirito livre que vaga pelo mundo com uma vontade que move planetas, uma alma que consegue encher você com sua felicidade quando você menos espera ou quando mais precisa. O rapaz que nada com as ondas do Serpentine, que explorou a parte mais infértil e hostil de Kumungu e apanhou frutas mais doces que o próprio açúcar, que encantou a flor mais antiga de Shurima para florescer novamente, que aqueceu pessoas em Freljord apenas com suas palavras. O garoto que explorou toda Valoran só porque ele queria. Algumas pessoas falam que a vida valeria a pena se você tivesse metade do coração de Ezreal.

Ele era uma pessoa totalmente diferente das que costumava falar, não que fosse uma coisa ruim, mas não era um daqueles caras que sempre vinham com a mesma conversa, os mesmos nobres Demacianos que só sabiam pensar em sua nação, não, ele era diferente. Ele já contemplou tantos lugares, testemunhou tantas coisas, desde as pequenas com a sua própria e única beleza até as mais grandiosas que são capazes de iluminar o azul escuro do céu pela noite inteira.

Já havia lhe contado essas historias, historias que sempre a deixam entusiasmada para sair e ver com seus próprios olhos. Lendas tão intrigantes mas do mesmo jeito tão lindas, seus olhos brilhavam a cada frase que ele narrava, tudo naquela forma romântica em que as descrevia, fazendo-as parecer ainda mais maravilhosas. Histórias contadas pelo garoto que facilmente fazia a pessoa mais ignorante prestar atenção por horas e horas.

Você pode dizer que ela o invejava mas o que ela realmente sentia era pura e inocente admiração.

Em uma de suas famosas explorações ele encontrou um amuleto, um artefato com um incrível poder escondido dentro dele, um poder que o concedeu a capacidade de projetar seus poderes mágicos há muito tempo adormecidos.
No entanto, o amuleto também era capaz de tele transportá-lo para os Campos de Justiça de algum jeito, fazendo dele um campeão da Liga, podendo ser invocado por qualquer invocador – noob ou não – a qualquer momento contra sua própria vontade.

Bem, ela agradecia o amuleto, sem ele, ela não saberia de todas essas historias maravilhosas do mundo em que vivia. Sim ela já sabia de algumas histórias incríveis antes de conhecer Ez mas elas eram apenas uma maneira patriótica do seu irmão e do príncipe Jarvan contarem as vitórias e conquistas de Demacia.... Sempre a mesma coisa hora após hora todo mês, entretanto, Ezreal, naqueles minutos não tão insignificantes antes das partidas começarem conseguia mostrar um mundo inteiramente diferente logo depois dos portões, claro, ela já tinha saído de Demacia algumas vezes mas não em tempo que poderia admirar ou desfrutar de alguma coisa, sempre havia algum trabalho de espionagem no caminho.

Então, por mais confiante que pudesse parecer, não escondia o fato do quão indiferente ele era, ao menos, com a Liga. Algumas vezes quando vai bot com ele, quase sempre termina em ter que animá-lo, por mais entediado que esteja ‘É só um jogo’ Ele diz ‘Vai ter muitos outros iguais a esse depois, então por que eu tenho que perder o meu tempo levando uma partida da Liga a sério?” E ela sempre acaba desistindo e o deixando a arrastar para o seu próprio jogo, hue.

Também se lembra de tê-lo encontrado em um sono profundo na torre do mid. Ele estava sentado lá encostado na grande torre de pedra com a expressão mais despreocupada e inocente no rosto como se nada estivesse acontecendo, enquanto ela farmava todos os minions no meio da lane livremente. Eventualmente, os minions o alcançaram e o acordaram, suspirando e reclamando ele se levantou e entediado começou a farmá-los. Chamaram aquilo de bug por um tempo. Ela não ligava pra isso e não se importava com o que a Liga pensava sobre isso, suas reações são engraçadas e a fazem rir de qualquer jeito.

Ela balançou a cabeça levemente e virou para a praia, então começou a caminhar calmamente em direção ao mar.
“O-o que você está fazendo?” Ezreal perguntou ainda um pouco constrangido.

Lux sorriu e olhou de volta para ele “Por causa desse pequeno acidente eu estou cheia de areia e meu cabelo está uma bagunça” Apontou para ele “Você deveria ir também”

A encarou meio confuso, então passou a mão na parte de trás da cabeça e sacudiu seu cabelo, sua mão saiu cheia de areia também. Bom, pelo fato dela tê-lo arrastado por todo caminho até o outro extremo da praia não seria de se estranhar se ele estivesse tossindo dunas de areia agora. Ela sorriu com isso.

--------------------------------------------------------

2ª parte logo abaixo cuz-this-fuking-text-have-500-characters-more-than-the-limit


Comment below rating threshold, click here to show it.

xXTitaniaXx9

Junior Member

10-20-2014

“Eu não acho que seja uma boa ideia” Disse, olhando para baixo.

“Ah, vamos lá, Ez. Está com medo da água?” Dito isso começou a andar para frente se adentrando no mar. Ele desviou o olhar e soltou um leve suspiro seguido de uma risada suave, hesitante, a seguiu, devagar no inicio mas logo acompanhou seu paço.

Ela parou bem onde a água batia em suas cinturas. “A água está realmente ótima” Disse com um tom alegre na voz enquanto se abaixava.

“Sim, sim” Responde indiferente e entediado – talvez desconfortável — “Podemos ir agora?”

“Ah, meu Deus, Ez, por que você está sempre entediado?”

“Eu não estou sempre entediado” Virou para ela e cruzou os braços “Só aqui e na Liga”

Suspirou de leve “Então? São as únicas vezes que eu vejo você, dur~”

Ele riu de leve “Eh, verdade” Não tinha muita certeza de como responder àquilo. Após alguns minutos em silencio ele respondeu ainda de braços cruzados “Apenas olhe ao redor” O que chama a atenção dela. Após mais um tempo, completou “O que você vê?”

Pareceu um pouco confusa, mas não questionou apenas o obedeceu, para ver onde isso iria levar “Bem, o mar, a praia, o céu, o Sol,...”

“Exatamente!” A interrompeu antes que pudesse pensar em mais coisas mas isso estava se tornando difícil, realmente, não haviam muitas outras coisas. Virou-se para encará-lo ainda confusa. “É a mesma coisa em todo canto. Água, água para qualquer lugar que você olhe“ O que poderia ser mais entediante que isso?” Ela não conseguia tirar seus olhos diante da cara de desgosto dele então, desatou a rir. Surpreso por sua súbita e intensa risada (todos conhecem a risada da Lux ne ;3), perguntou; “O que é tão engraçado?”

“Oh, Ez” Foi o que conseguiu dizer ainda rindo levemente “Você deveria ter visto a sua cara, foi inestimável” Brincou. Ele cruzou os braços novamente e desviou o olhar resmungando, o que a fez rir novamente. Levantou-se e se adentrou mais a fundo na imensidão azul, curioso, ele se virou para ela. “Algumas vezes, você não precisa ver as coisas para saber que elas estão lá sabia? – como você pode se chamar de explorador, han~?”

Ela se abaixa novamente e pareceu pegar alguma coisa, o que o fez se aproximar mais, possuído pela curiosidade. Vira-se e percebe que ele está um pouco mais perto do que esperava e da um peteleco em seu nariz de brincadeira. Ele esfrega um pouco o nariz antes de olhar para o objeto em suas mãos. Parecia ser uma pedra, mas, era bem diferente, era brilhante e cristalina como um diamante, provavelmente, tinha ficado presa em algum lugar de baixo d’água fazendo com que as correntes oceânicas a descolorissem e então parecia mais transparente do que o normal. Vale salientar que Lux também é uma maga da Luz~

Ele sorriu “Bom, mas também não são pedras bonitinhas que eu procuro nas minhas explorações né” Mesmo dizendo isso, ele estende a mão direita para pegar a ‘rocha’ das mão de Lux um pouco impensadamente, no entanto, ele não consegue. Lux a segurava um pouco firme ou talvez ele enfraqueceu quando sentiu vagamente seus dedos tocando nos dela sem querer.

Ele permaneceu olhando para a rocha em suas mão antes de desviar seu olhar para o seu rosto um pouco assustado, e ficou ainda mais quando a notou olhando de volta, seus olhos brilhantes como cristais olhando diretamente para os dele. Congelou. E só então percebeu o quão perto eles estavam um do outro.

Tanto que Lux podia sentir o calor de seu corpo a alcançar. Ela estava brilhando na frente de seus olhos, assim como ele na frente dos dela. O Sol começava a se pôr por detrás dele.

Apenas... Apenas beije-o Ela pensou, mas rapidamente tirou essa ideia da mente balançando a cabeça discretamente O que eu estou pensando? É... É o Ez... Então pensou nessa frase novamente. Talvez só o fato dele ser Ezreal era o que estava a arrastando para isso, não tinha percebido isso ate agora mas toda vez que estava com ele estava extremamente confortável, sentindo que podia agir perfeitamente normal e natural, de fato, era a única pessoa capaz de fazer isso, arrastá-la para um mundo completamente diferente, longe de seus trabalhos de espionagem, negócios de Demacia ou assuntos de nobres. Era algo maravilhoso que ela há muito tempo esperava e admirava.

Ele deve ter tido algum pensamento semelhante, notou pelo vermelho súbito que apareceu em suas bochechas antes dele desviar o olhar. Sem pensar, deslizou os dedos levemente pela rocha e vagamente tocou seus dedos novamente, o que o fez se virar e fixar seu olhar sobre ela. Lentamente, ele abriu sua boca para falar algo mas nenhum som saiu.

Eles não tinham notado que os sons do oceano tinham ficado mais altos, já que eles estavam bem mais fundo do que antes. Então, Lux percebeu a grande, realmente, grande onda que apareceu do nada e se aproximava em sua direção atrás de Ezreal, mas, infelizmente(?), não a tempo de alertá-lo.

A onda o atingiu sem aviso, ele definitivamente não estava preparado para isso, e a onda era grande e forte (e, bem, ele não estava conseguindo prestar atenção em muitas coisas agora), não foi o suficiente para derrubá-lo mas sim para empurrá-lo alguns metros para frente forçadamente, quase caindo se não houvesse uma pessoa ali, a sua frente. Após isso tudo parecia ter passado em câmera lenta.

Seus olhos estavam arregalados, seus lábios, se tocando. Milhões de pensamentos cruzando suas mente, não era para acontecer, foi um acidente. Então decidiram parar de pensar e simplesmente fazer o que queriam.

Assim, em vez de quebrar o beijo, se afastar e se desculpar – o que foi a primeira coisa que pensaram mas de alguma forma não conseguiram – continuaram, agora, mais apaixonadamente. Soltaram a pedra que caiu gentilmente na areia de baixo d’água liberando suas mãos enquanto ele deslizava sua língua dentro de sua boca, o que ela correspondeu.

Ezreal levou sua mão esquerda para a bochecha de Lux acariciando-a suavemente e com a outra descansou em sua cintura puxando-a gentilmente para perto. Ela correspondeu com uma das mãos em seu pescoço enquanto a outra descansava em seu peito. De longe, juntos eles pareciam ser uma luz brilhando no meio do oceano.

Parecia ter se passado anos e anos e eles ainda não tinham largado um ao outro, não queriam isso, não agora, talvez, nunca, o primeiro beijo que nenhum deles desejava ter fim.

Algumas pessoas também dizem que, de fato, não existem acidentes e que tudo gira em torno do destino e você só precisa que percebê-los.

Tudo em algum momento, não importa quando, termina, talvez do mesmo jeito que começou. Eles se separam quando sentiram o gosto de água do mar em suas bocas causadas por uma onda que tinha passado. Riram de leve, Ezreal quase perdeu o equilíbrio, então suas risadas foram substituídas por um silencio incomodo e desajeito que permaneceu entre os dois.
“Wow” Lux conseguiu dizer, respirando pesadamente.

“Wow” Ele repetiu com uma mão no cabelo. Riram levemente.

“A praia é entediante, você diz? Imagine se não fosse...” Disse brincando, de algum jeito serviu para quebrar o gelo.

“Bom, eu...” Corou, desviando o olhar “Estou começando a gostar das ondas” Ele se aproximou e a tocou gentilmente na bochecha e seus lábios se tocaram novamente. Uma onda passa por eles. “Se bem que as vezes elas atrapalham” Ela riu.

“Bobinho~” Disse o beijando novamente.

-------------------------------------------------------

Que eu me lembre eu não sabia como terminar isso =p Oh, well.


Comment below rating threshold, click here to show it.

TheDeadlyScythe

Senior Member

10-21-2014

lol
Sidehistory da Poolparty pra explicar o romance dos dois :3
A-d-o-g-o.


Comment below rating threshold, click here to show it.

xXTitaniaXx9

Junior Member

10-28-2014

xD
OTP :s


Comment below rating threshold, click here to show it.

TheDeadlyScythe

Senior Member

10-28-2014

Citação:
xXTitaniaXx9:
xD
OTP :s

OTP is love, OTP is life
- se eu contar meus OTP, vão me chamar de louca e vai ocupar a página inteira -


Comment below rating threshold, click here to show it.

xXTitaniaXx9

Junior Member

10-30-2014

Citação:
TheDeadlyScythe:
OTP is love, OTP is life
- se eu contar meus OTP, vão me chamar de louca e vai ocupar a página inteira -


Tipo isso >.>
CrackPairings OP


1