Bem-vindos ao arquivo do Fórum!

Nosso fórum pode ter mudado, mas isto não significa que vamos esquecer de tudo o que veio antes. Neste arquivo, vocês encontram a história da comunidade do League desde a chegada do servidor ao Brasil. Tem de tudo um pouco: discussões, piadas, desenhos, tentativas de identificar as camadas do fórum e muito mais.

Então, navegue pelas lembranças e, depois, participe das discussões que estão rolando neste momento no novo Fórum do League of Legends e divirta-se com os outros membros da nossa Comunidade. Nos vemos lá!

Um abraço,
Ysanne

IR PARA O NOVO FÓRUM


(Fanfic) Os contos de um contador de histórias PT.2

1
Comment below rating threshold, click here to show it.

Heydregon

Member

10-24-2014

Capítulo 2: A ilha... E a caverna

[ Achei que este nome como título soa melhor, então, vai ser esse a partir de agora.]

O lugar é escuro e aparentemente sem vida, estranhamente envolto numa densa neblina. Alguns sons duvidosos são ouvidos o tempo inteiro, mas é impossível distinguir de onde vem ou quem os produz. Não se enxerga muito além das grandes árvores secas e do pântano que parece não ter fim.
Alguém é visto chegando numa canoa. Difícil acreditar que uma pessoa atravessaria para este lado da ilha. Ainda mais sozinho. Aparentemente ele não teme o que a ilha tem a lhe oferecer. O indivíduo tem um capuz negro que cobre completamente sua face mas seu porte físico aparenta ser de um homem. Ele atraca a canoa nas pedras rasas, desce, e caminha floresta adentro.
Esta parte é praticamente isolada, pois muitos dizem que é o lugar mais perigoso de toda a ilha, aliás, dizem até mesmo que é o local mais perigoso e medonho do continente de Valoran. Esta ilhota separada é lar dos mais perigosos animais e seres estranhos. Rezam lendas que existem mortos vivos e fantasmas rondando este lado da ilha.
Por incrível que pareça, ultimamente há um movimento muito grande de soldados do League montando acampamentos deste lado. E muitos estão retornando sem vida, mas isso não parece diminuir a determinação deles, ou de seus senhores. Resta saber o porquê desta determinação, e se realmente vale a pena...

Chegando ao extremo norte, ele se depara com uma gruta escondida entre duas árvores de aparência assustadora. O indivíduo se prepara para entrar, mas abruptamente para quando ouve sons de galhos de quebrando, aparentemente bem próximos. Ele se vira, e no mesmo instante se coloca em guarda ao sentir um sopro bem de leve em sua nuca.
- Não recebemos visitas com muita frequência. - Diz uma voz suave, porém ameaçadora em seu ouvido. Ele se vira rapidamente, deparando-se com uma figura elegante, mas ao mesmo tempo com uma aura maligna.
- Então é de você que estão falando. Que é impossível de capturar. Agora vejo o porque. Você tem uma habilidade única.
Ela deu de ombros:
- Única não. Simplesmente aprimorada. Agora me diga, você foi a pessoa escolhida para me levar? Devo alerta-lo de que não será um tarefa fácil.
Ele soltou um riso irônico:
- Não seja tola. Não é por você que estou aqui.
Seu semblante se tornou mais sério:
- Entendo... Esta caverna... Você está aqui por ela. Devo dizer que não sairá vivo daí. Por mais que ela esteja debilitada, você não tem a mínima chance.
- Isto cabe a mim decidir Evelynn. Dito isso, terei que pedir educadamente que se retire, ou então usarei a força se necessário. Eu não quero desperdiçar um dom como o seu, por isso, se me der licença... Tenho assuntos particulares a serem tratados com ela.
- Não perderei meu tempo com você! A própria ilha lhe dará o que merece. Isso se você sair com vida daí de dentro é claro...
Evelynn simplesmente desapareceu em frente aos seus olhos. Ele pensou como as habilidades dela teriam utilidade para sua causa futuramente.

A pessoa encapuzada adentrou a gruta. De sua mão esquerda fez surgir um feixe de luz dourada para iluminar a escuridão. É estranho, mas as criaturas noturnas da caverna pareciam ignora-lo, ou melhor, teme-lo.
Após algum tempo caminhando em linha reta, ele se deparou com o que parecia ser um altar antigo destruído. Sentada no altar, a figura em decadência olhava fixamente em sua direção. Suas asas negras se abriram, mostrando o quão deformadas e fracas estavam. A figura se levantou e avançou ficando frente a frente com o intruso em sua caverna.
- Olá, Invocador...

[A segunda parte da história pra vocês. Se gostarem, comentem, se não, comentem também. ]

Segue o link para a primeira parte da história:
http://forums.br.leagueoflegends.com/board/showthread.php?t=311226

Boa leitura.


1