Bem-vindos ao arquivo do Fórum!

Nosso fórum pode ter mudado, mas isto não significa que vamos esquecer de tudo o que veio antes. Neste arquivo, vocês encontram a história da comunidade do League desde a chegada do servidor ao Brasil. Tem de tudo um pouco: discussões, piadas, desenhos, tentativas de identificar as camadas do fórum e muito mais.

Então, navegue pelas lembranças e, depois, participe das discussões que estão rolando neste momento no novo Fórum do League of Legends e divirta-se com os outros membros da nossa Comunidade. Nos vemos lá!

Um abraço,
Ysanne

IR PARA O NOVO FÓRUM


Freljord - Capítulo 02 Guerra

1
Comment below rating threshold, click here to show it.

XeAP Cling FEB

Senior Member

11-09-2014

Freljord Capítulo 02 - Guerra

Agora eu me encontrava sobre o Vale Runus, que era um dos locais mais bonitos em toda Freljord. Há todo momento eu ficava admirado com a paisagem ao redor, com o barulho da cachoeira e o resplendor das águas, era tão reluzente que parecia magia. Não vou me esquecer de falar sobre as variedades de árvores naquele lugar, nem parecia que era em volto de uma terra gelada e sem vida. Eu disse que parecia magia? Talvez eu esteja certo. Sim ou não, não importa, aquele lugar era real, e a todo momento se sentia a presença de um ser, não sei bem como explicar, mais posso dizer que quando entrei no vale, mesmo que por um momento, eu me sentia feliz. Sei lá, e como se aquela presença fosse algo bom.

Quando vi novamente a terra gélida, olhei para meus pés, e a parte frontal estava frio em cima do gelo, enquanto a parte traseira, estava quente e sentindo o capim verde e baixo. Não sei quem capinava aquele lugar, mas com certeza era loucura dizer que o capim não crescia, em meio a duas loucuras, prefiro seguir acreditando que alguém se preocupava em capinar o local, e vinha de sua terra para fazer isso. Novamente voltei aos meus pensamentos, e fiquei quieto, não queria sair daquele lugar. Talvez desse para eu ficar por mais um tempo, e foi quando eu percebi que a neve quando caia, não passava para o lado verde, nem com a ação do vento, ela simplesmente desaparecia, era algo inacreditável. Só me lembro de ter pensando “Que loucura!”.

Minha vontade de ficar foi maior, voltei meus pés para o lado verde, e me escorei em uma árvore. Respirei fundo, puxei realmente o ar e soltei lentamente, estava realmente aproveitando o local, por um momento vinha uma enchente de perguntas, umas mais realistas que outras, e também uma enchente de explicações, umas mais improváveis que outras. Depois de algum tempo, que eu pude admirar o local, fiquei observando um pássaro, e me perguntando “Como é poder voar?”, estava realmente entretido com aquele momento. Depois de uma brisa me dar coragem para seguir em frente, eu novamente fui, peguei meu manto e me cobri. Logo após, que sair para o lado do gelo e do frio, joguei ele no chão falando as seguintes palavras “O frio pode ser meu inimigo, então eu tenho que derrotar ele”. Há esse momento, a espada não pesava mais, era como se ela tivesse se tornando uma parte do meu corpo.

Eu só me lembro disso, até o momento, talvez eu deva contar mais depois, é claro... depois de eu exterminar esses demacianos.

7 ANOS DEPOIS...


- Tryndamere, preciso de você aqui. Disse Ashe, mais bonita e elegante do que nunca, realmente ela combina com a guerra.

- Inimigos se aproximando. Quando o soldado disse isso, eu estava do lado de Ashe na parte mais alta daquele forte. Ashe se preocupava muito com o seu povo, então evacuou todo mundo antes disso começar, para onde? Só ela sabe. Lembro-me do barulho das catapultas atingindo as rochas do forte, e também do tremor que fazia, era algo assustador. Estava com minha espada na mão, e com a armadura que eu gostava. Um elmo com dois chifres pontiagudos, uma ombreira do lado esquerdo com esmeraldas embutidas, e completando a parte da armadura inferior nas minhas pernas. Não gostava de usar nada pelo peito, fazia um calor imenso, e retardava meus movimentos.

- Trynda, por que isso está acontecendo?

- Talvez porque os demacianos são ambiciosos demais na liderança de Jarvan. Se estão querendo tomar esse forte por um motivo mesquinho, vão morrer aqui. Respondi a Ashe, com um olhar confiante.

Nesse momento as portas do trono se abrem, e quem entra, são tropas inimigas que logo após da início a um banho de sangue no local. Sem êxito algum eu fui para cima do combate, queria meter minha espada na carne demaciana. Logo pude perceber, que não estava mais como antes, já não me culpava mais por nada, nem estava perdido como estava 7 anos atrás. Não me importava em nada naquele momento, além de matar meus inimigos, que era o que eu estava fazendo. Eles usavam um traje em cor básica vermelha, nunca fui bom em definir algo, vamos deixa por essa definição mesmo.

Depois daquela batalha, Jarvan não conseguiu nada, ele simplesmente recuou, eu e a Ashe estávamos seguros, e pude entender o que é se sentir vivo. Depois de algum tempo, acho que deu no máximo um ano mesmo, agente estava no nosso lar, que se chamava Johelm.
Eu novamente era o rei, e Ashe, minha deusa. Eu estava pensando nela quando ela entrou na sala do trono.

- Você não disse que hoje era o dia do papai? O que aconteceu?!

Em um tom sarcástico ela perguntou, eu respirei e respondi.

- Talvez hoje seja o dia de eu ficar em casa. Não é uma regra entende? A caça é algo quando seu coração deseja e você atende.

- Talvez... mas não obrigatoriamente. Ela sorriu, e se sentou em cima de mim encostando sua cabeça em meu peito no trono.

- O que você acha que Jarvan está fazendo?

Retirei a cabeça dela do meu ombro, e olhei para os olhos dela respondendo.

- Não quero mais essa preocupação, ele não é ameaça. Nunca foi na verdade.

- Como?... Como você consegue ser tão confiante?

Sorrindo, ela perguntou.

- Você deveria tentar também, às vezes, a confiança é a única coisa que me faz seguir em frente.

- Tipo quando agente ta na cama?

- Eu acho que sim.

Depois dessa minha resposta, nos gargalhamos junto.

E eu pude lembrar de como era ser rei, e lembrar de como e ser derrotado, eu realmente estava feliz, por um momento senti que tudo estava perfeito, que aquela é minha vida e sempre foi, não sou desses que fica vadiando de taberna em taberna, com medo do frio, e reclamando de uma espada pesada. Sou o Tryndamere, rei de Johelm, e qualquer demaciano que negar isso, será destruído.


Anterior:
Freljord - Capítulo 01 Lembranças http://forums.br.leagueoflegends.com/board/showthread.php?t=316885

Próximo:
---


Comment below rating threshold, click here to show it.

TheDeadlyScythe

Senior Member

11-09-2014

Continue jovem.
Você escreve bem, quero ver essa fanfic continuar :P


Comment below rating threshold, click here to show it.

XeAP Cling FEB

Senior Member

11-09-2014

Citação:
TheDeadlyScythe:
Continue jovem.
Você escreve bem, quero ver essa fanfic continuar :P


Obrigado, com certeza irá.


1