Bem-vindos ao arquivo do Fórum!

Nosso fórum pode ter mudado, mas isto não significa que vamos esquecer de tudo o que veio antes. Neste arquivo, vocês encontram a história da comunidade do League desde a chegada do servidor ao Brasil. Tem de tudo um pouco: discussões, piadas, desenhos, tentativas de identificar as camadas do fórum e muito mais.

Então, navegue pelas lembranças e, depois, participe das discussões que estão rolando neste momento no novo Fórum do League of Legends e divirta-se com os outros membros da nossa Comunidade. Nos vemos lá!

Um abraço,
Ysanne

IR PARA O NOVO FÓRUM


[FANFIC] Lendas da Ilha das Sombras Pt.4: A Guerra Começa

1
Comment below rating threshold, click here to show it.

Earthan

Junior Member

12-11-2014

Esse capítulo é uma sequência direta ao terceiro capítulo. Recomendo que leia-o antes de começar
Maokai: Vai declarar guerra á Ilha das Sombras?
???: Porque não? Meus homens são fortes o suficiente. Já enviei alguns até lá, e eles voltaram vivos.
Maokai: Eles não sobreviveram ao encontro com Mandíbula enquanto caçavam Elise.
???: Isso é algo a parte.
Maokai: Isso é loucura. O Tormento já extingiu os Purificadores uma vez. Á custo da vida de Senna, uma das suas melhores guerreiras.
???: A morte de Senna foi uma pena. Pelo menos, transformou Lucian em um melhor guerreiro.
Maokai: Você é muito frio.
???: Frieza significa poder. Embora, sentimentos podem ser uma boa fonte de força. Lucian é um bom exemplo disso.
Maokai: CHEGA. JÁ ESPEREI ANOS PARA PURIFICAR AQUELA ILHA.
???: Então vamos guerrear. Acabaremos com isso em apenas uma batalha. Estou preparando meus homens com base em suas informações. Mas como todos sabem, não há como ferí-los sem uma arma iluminada. Maokai, preciso que você obtenha os itens necessários para forjar lotes e lotes de armas da luz.
Maokai: Fale-me o que precisa.
???: Já temos o líquido sagrado. Só precisamos de uma coisa. Prata da Ilha das Sombras.
Maokai: Como pretende que eu extraia-o?
???: Não é complicado. Já foi extraido por um caçador chamado Warwick. Use este artefato. Pode extrair o suficiente
para as armas.
O homem misterioso entrega o que seria necessário para extrair, e junto, a quantidade necessária. Maokai parte em sua jornada. Ele começa a andar, saindo da fortaleza dos Novos Purificadores. Era impressionante como aquele homem conseguiu restaurar a Ordem ao que era antes. Mas o que ele estava fazendo com os guerreiros era desumano. Ele tinha certeza que Lucian não gostaria disso.
Maokai começou a cair. Seus olhos brilhavam espectrais por um tempo e voltaram ao normal. Ele estava se corrompendo. Quando o ritual rompeu a barreira entre a vida e a morte... Isso afetou muito Maokai. Voltar lá... seria como se transformar em um dos demônios que habitam o local. Mas ele precisava. Era a única chance de conseguir redenção.
Ele seguiu andando pela noite.
Foram 10 horas de viagem.
Ele chegou no ocenano após dois dias de viagem. A fortaleza ficava bem longe da margem, obviamente, uma defesa contra o Tormento. Lá, ele se perguntou como atravessaria. Ele sentia a Ilha. Ele se lembrou como ele avançava contra campeões nos Campos da Justiça. Uma nuvem de energia arcana. Teria ele energias para ir tão longe assim? Se concentrou. Ergeu seus punhos. Se transformou.
Maokai passou voando pelo oceano expelindo água pelos lados. Estava indo rápido demais numa distância que nunca havia percorrido antes. Depois de alguns minutos, chegou na Ilha de uma forma muito rápida. Ele havia atravessado todo o Mar do Conquistador em cerca de 10 minutos.
Ao chegar na Ilha, estava exausto. Exausto, mas mesmo assim sentia poder. Muito poder. A Ilha queria corrompê-lo. Ele se lembrou de todas as vezes que a Ilha tentou corrompê-lo. Mas ele não tinha tempo para pensar. Ele avançou na escuridão da Ilha.
Enquanto isso, em outro lugar...
Lucian encontrou as pegadas de Maokai na praia. Elas paravam no mar. Decidiu seguí-las, do fim para o começo. Depois
de 6-7 horas, chegou ao seu fim. Ele era obviamente mais rápido que o Ente Retorcido. Ao ver a fortaleza, estremeceu.
Era muito semelhante as construções dos Purificadores. De repente, ele avistou o homem misterioso.
Ele usava uma roupa semelhante a de Lucian, porém preta, usando um capuz e uma máscara cobrindo o rosto. Empunhava uma espada de ônix e uma pistola presa á seu cinto. A pistola era completamente idêntica á de Senna, porém com um tom mais... espectral?
Na hora que o homem viu Lucian, se assustou. Ele saltou do topo da fortaleza e caiu na frente de Lucian. Os dois ficaram frente a frente.
Lucian:Jason.
Jason:Lucian. Como vai sua mulher?
Lucian puxa a pistola de Senna e aponta para o rosto dele. Jason permanece imóvel.
Jason: Nem pense nisso, Lucian.
Jason puxa sua espada rapidamente sem ao menos dar tempo de Lucian atirar, e derruba a pistola de sua mão.
Lucian: Pensei que estivesse morto.
Jason: Não... estou bem vivo. Ouvi dizer que você assumiu a liderança junto com Senna depois que eu desapareci.
Lucian: O que aconteceu?
Jason: Quando cheguei lá, bem, passei por muita coisa. Eu imagino que você saiba o que eu passei. Coveiros, necromantes, espectros... coisa do tipo.
Lucian: Quando voltou?
Jason: Achei um barco lá. Ele se quebrou no caminho de volta e parei em uma ilha próxima, onde passei dois meses tentando consertá-lo.
Lucian: O que é isso? Achei que os Purificadores estavam mortos.
Jason: Aah, estão bem vivos. Encontrei antigos membros, e os deixei digamos... mais fortes.
Lucian: O que você fez com eles?
Jason: Sabia que colocar espíritos imortais em corpos humanos torna-os muito mais fortes? Apesar de mudar um pouco suas personalidades...
Lucian se assusta com o tom macabro de Jason. Não, ele não era mais o mesmo. A Ilha das Sombras despertava o mal em tudo. Jason não era mais um bom líder. Era um louco em busca de poder.
Jason: Seus serviços não são mais necessários, Lucian. Rapazes.
Os Purificadores desceram de seus postos. Armados até os dentes, partiram contra Lucian.
Enquanto isso, com Maokai...
Maokai terminou de tirar a prata da Ilha das Sombras. Não teve encontros ruins. Mas estava ficando cada vez pior. A corrupção percorria seu corpo. Ele correu com a prata, e se transformou novamente para atravessar a ilha e o mar. Enquanto viajava, ele se sentia cada vez mais maligno. Desejos sombrios percorriam sua mente. Ele queria matar. Ele queria torturar. Mas ele não podia. Ele tinha que conseguir. O futuro de seu amado lar dependia dele. Seus olhos brilhavam com um tom amaldiçoado. Ele se transformou em uma nuvem de energia arcana novamente. Ele avançava muito rápido, e chegou na fortaleza. Não viu ninguém. Jason não estava á vista. Os homens estavam olhando para ele, enquanto ele se arrastava para chegar á fortaleza. Ele entrou, e viu Jason.
Jason: Ah. Maokai. Você voltou.
Lucian estava amarrado e amordaçado preso em um quarto.
Maokai: A prata. E agora?
Jason: Venha comigo.
Maokai começou a melhorar. Estar longe da Ilha o deixava muito melhor. Mas mesmo assim, sentia que voltar lá foi uma péssima ideia. Jason entrou em uma sala de forjaria. Lá, seus homens trabalhavam ao máximo, criando as armas.
Maokai: Essas armas. Já estão prontas.
Jason: Não, ainda não. Precisamos da prata para estar pronta. E então, banhá-la na fonte sagrada.
Os homens pegaram a prata, trabalhando numa velocidade absurda. Como era possível produzir tantas armas, mas tantas apenas em poucos minutos? Eles trabalhavam com a prata e as espadas produzidas. Banharam-a em prata derretida, e depois de colocar na fornalha por algum tempo, a banharam na fonte. As espadas começaram a reluzir, igual a pistola de Lucian.
Jason: Ah, a vitória se aproxima.
Algumas horas se passaram.
Os homens já estavam todos armados. Lucian, ainda preso. Até mesmo Maokai foi banhado na fonte, para atrasar sua corrupção por um tempo.
Jason: Meus soldados, hoje teremos uma vitória. Triunfaremos sobre toda a Ilha das Sombras.
Eles vibraram. Maokai esperava em um canto, próximo á floresta. Os homens começaram a correr para as margens. Maokai foi junto, viajando em forma de nuvem arcana, mesmo isso esvaindo suas energias. Ao chegarem na margem, Maokai se perguntou como eles passariam. De repente, uma sombra veio. Os homens se preparam. As águas ficaram escuras. A Névoa Negra a seguia. O Tormento estava vindo.
Mas porquê? Não havia nenhuma cidade ali. Porque o Tormento viria atacar logo agora.
Espectros e mais espectros avançavam na batalha enorme. Os Purificadores os dizimavam. Havia funcionado. Eles estavam triunfando. Maokai começou a avançar junto, derrubando mais espíritos. De repente, surgiu Hecarim, a Sombra da Guerra. Ele começou a avançar com uma leva de soldados espectrais derrubando todos em seu caminho. Ao seu lado, Mordekaiser, o Mestre do Metal. O que esses dois estavam fazendo batalhando juntos? A batalha começou a tomar um rumo diferente, e alguns Purificadores começaram a morrer.
Quando Maokai viu algo macabro e terrível. A Névoa Negra estava encobrindo algo. Algo enorme. Gigante. Ele reconheceu quem era. Ou melhor, o que era.
Enquanto isso, na fortaleza dos Purificadores...
Lucian conseguiu se soltar. Se aproximou de um local fino e cortou a corta entre seu peito e seu braço. O sangue jorrava de um ferimento, mas ele não se importava. Pegou alguns pedaços de pano e amarrou em seu ferimento. Procurou suas pistolas, e quando chegou no salão da forjaria, que viu o tanto de armas inutilizadas... se perguntou o que Jason estava planejando. Pegou duas espadas e as prendeu em sua calça. Partiu para a batalha. Seja como fosse, precisava ajudar Jason. Ele não podia deixar os Purificadores perderem mais uma vez. E acima de tudo, esperava encontrá-lo naquela batalha. Esperava encontrar o Guardião das Correntes, e ter sua vingança. Não, ele tinha que parar de pensar nisso. O que importava, era deter o Tormento. E depois, dar um jeito de impedir Jason de continuar
com aquela ideia. Ele correu, e quanto mais avançava, mais corpos via. Tanto de mortos-vivos, quanto de Purificadores. Ele via a morte em tudo, assim como viu na Ilha das Sombras. Tudo estava se corrompendo ao seu redor. Na hora que chegou na praia...
Ele viu todos mortos. Muitos mortos. Ele viu Maokai, caído no chão. Ele viu Jason e pequeno grupo de Purificadores batalhando com algo que estava encoberto na Névoa Negra. Ele percebeu que nenhuma batalha seria ganha. Um enorme exército, gigante, avançava, passando pela margem. Viu Jason correndo e... rindo?
Mas nada o assombrou tanto. Não era o exército de mortos-vivos que o assustava. E sim, a criatura que estava os acompanhando. Ele correu enquanto o Mandíbula destruia a praia.
EPÍLOGO:
Maokai estava caído.
Mas algo havia mudado.
Ele se ergueu. Seus olhos agoram tinha um tom espectral.
Seu tronco, agora era totalmente negro, e sombras dançavam ao seu redor.
O Ente Retorcido estava corrompido, e com ele, morria a última esperança da Ilha das Sombras.


Comment below rating threshold, click here to show it.

Earthan

Junior Member

12-18-2014

Sem feedback nesse capítulo?


1